Utilizando uma softkey com os produtos Elipse Software.

A softkey é um mecanismo de proteção de software introduzido com as novas tecnologias de virtualização dos sistemas operacionais. Funciona como uma alternativa à hardkey, que ainda é o sistema mais comum. Com a softkey, é possível executar os produtos da Elipse em ambientes remotos como a computação em nuvem, pois com ela a validação da chave de produto se dá via software e não via hardware, como o que acontece com a hardkey.

Diferenças entre a softkey e a hardkey

Há dois tipos de controle de cópias dos produtos para as aplicações Elipse: hardkeys e softkeys. Ambas são formas de proteção contra o uso ilegal do software.

A hardkey é um dispositivo físico que é conectado à porta USB do computador; ao executar o software, ela verifica os produtos que foram programados neste dispositivo. A principal vantagem da hardkey é a portabilidade, pois o dispositivo não fica vinculado a um servidor; isto representa uma facilidade para os integradores e clientes finais que necessitam acesso a uma hardkey de forma rápida e fácil. Além disso, em um eventual problema na máquina, a hardkey pode ser removida e reinstalada em outro computador.

Já a softkey é uma chave de produto que não é portável. Seu diferencial é o processo de validação (mecanismo de segurança), que ocorre a cada 60 dias e pode ser feita de forma automática (com acesso à internet) ou manual. Ao contrário da hardkey, a softkey fica vinculada à máquina, não sendo possível transferi-la ou removê-la após sua instalação.

Utilize a hardkey quando:

  • A chave de produto necessita de portabilidade (módulo de desenvolvimento);
  • O computador estiver em um ambiente fisicamente seguro;
  • A chave de produto não pode ser vinculada a um computador.

Utilize a softkey quando:

  • A aplicação estiver em ambientes virtualizados;
  • Os servidores não possuem uma porta USB;
  • O computador não estiver em um ambiente fisicamente seguro.


Funcionamento da softkey

A softkey pode ser instalada de uma das seguintes maneiras:

  • Via Elipse License Manager (eLic): este procedimento (recomendado) é simples e automático, sendo apenas necessário que a máquina tenha acesso à internet.
  • Procedimento manual: apenas deve ser utilizado caso a máquina não tenha acesso a internet.

NOTA: para um procedimento fácil e rápido, a sugestão da Elipse é a instalação via eLic, e não o procedimento manual.

A cada 60 dias, a softkey deve ser reprogramada/revalidada. Caso a máquina que roda o eLic tenha acesso à internet, as reprogramações periódicas de todas as softkeys da rede são feitas de forma automática, não exigindo nenhum tipo de intervenção por parte do cliente. Caso a rede seja isolada, ou seja, caso nenhuma máquina tenha acesso à internet, a reprogramação periódica deve ser feita de forma manual.

A data de expiração da softkey pode ser verificada via eLic ou E3Admin, e um aviso para sua revalidação é exibido 30 dias antes da data prevista. A reprogramação manual (offline), bem como sua solicitação, é de inteira responsabilidade do cliente, e pode ser feita de uma das seguintes formas:

  • Via HKCustomer: requer acesso direto ao servidor;
  • Via eLic: esta opção deve ser utilizada somente caso cliente não tenha acesso direto ao servidor, somente via Remote Desktop. Neste caso a atualização é feita manualmente, gerando um arquivo a ser enviado para Elipse e depois aplicado um novo arquivo para atualização.

Uma vez instalada no servidor, a softkey fica atrelada àquela máquina, não sendo possível removê-la ou transferi-la.

Vantagens da softkey:

  • Não requer porta USB;
  • A chave de produto não fica vinculada a um dispositivo portátil, o que evita eventuais perdas ou furtos;
  • Permite a criação de um ambiente virtualizado.

Desvantagens da softkey:

  • Requer reprogramações periódicas;
  • A chave de produto fica vinculada ao servidor, não sendo possível removê-la nem transferi-la para outro hardware;
  • Possui um complexo processo de instalação off-line;
  • Em um eventual problema na máquina, a softkey será perdida, sendo necessária uma nova instalação.

Restrições da softkey:

  • É preciso garantir que a máquina onde será instalada a softkey seja a máquina final, e que ela já esteja devidamente configurada;
  • A máquina onde a softkey está instalada precisa estar preparada para receber reprogramações periódicas;
  • Após a instalação da softkey em uma máquina física, não é mais possível modificar as configurações da máquina (UUID, configuração de CPU, placas de rede, etc.), uma vez que poderá ocorrer a detecção de ‘clonagem’ da softkey e ela irá parar de funcionar. Quando isso acontece, essa softkey não pode mais ser recuperada, sendo necessário a criação de uma nova. Esta operação tem custo e consome um tempo considerável. Portanto, entre em contato com a Elipse Software o mais rápido possível neste caso.


Elipse License Manager (eLic)

O objetivo do Elipse License Manager é gerenciar o processo de atualização dos dispositivos de proteção (hardkey/softkey) utilizados no controle de softwares desenvolvidos pela Elipse Software. Suas principais funcionalidades são:

  • Ativação da softkey (este procedimento só poderá ser utilizado se a máquina tiver acesso à internet);
  • Reprogramações automáticas de softkeys e hardkeys (desde que a máquina que roda o eLic tenha acesso à internet);
  • Centralização do gerenciamento dos produtos Elipse;
  • Coleta e aplicação de memórias de forma off-line (processo manual, sem acesso à internet);
  • Controle das datas de expiração.

O download do Elipse License Manager (eLic) pode ser feito no site da Elipse.

Este artigo foi útil? Was this post helpful?
Yes2
No0

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados com asterisco são obrigatórios *