Linguagem SQL: Capítulo 3 – Descarte de Dados e Limite dos Bancos.

O E3 possui uma ferramenta importante para auxiliar no monitoramento de um banco de dados: o descarte de dados (disponível nas configurações de Históricos, Storages e tabela de Alarmes). Esta opção habilita o descarte dos dados da tabela principal. Assim, a antiguidade de um dado será determinada de acordo com o que for definido na opção Mantenha os dados do(s) último(s). Este campo equivale à propriedade EnableDiscard.

A opção Dados descartados devem ser armazenados habilita o armazenamento dos dados descartados na tabela secundária (tabela de backup). Este campo equivale à propriedade EnableBackupTable.

 


Figura 1 – Descarte de dados

A escolha de um banco de dados depende diretamente de sua finalidade, porém, é extremamente recomendado o uso de pelo menos um Banco de dados SQL ou Oracle Express (Free). O banco de dados Microsoft Access é utilizado somente para pequenas aplicações.

Limites de Tamanho dos Bancos

  • SQL EXPRESS 2012 SP1: suporta 1 CPU, 1GB RAM, e tem capacidade de armazenamento de 10 GB para cada banco existente no servidor.
  • ORACLE EXPRESS EDITION 11g Release 2 (XE): suporta 1 CPU, 1GB RAM, e sua capacidade de armazenamento é por volta de 10 GB por banco.
  • ACCESS: está limitado a um tamanho de 2 GB e não possui um sistema de segurança 100% confiável (pode apresentar instabilidade a partir de 100 MB).

 

Os bancos SQL Express e Oracle XE, embora possuam limites maiores de armazenamento, também devem ter o seu uso monitorado. O artigo Verificando o espaço utilizado pelo Banco de Dados SQL demonstra como verificar o tamanho de um banco de dados SQL Server.

 

Geralmente, há um número significativo de bancos de dados Microsoft Access em todos os níveis de uma empresa, muitos dos quais tornaram-se de missão crítica. É importante que esses bancos de dados sejam protegidos contra a perda e a alteração de dados, e que o desempenho não fique abaixo do esperado.

 

Para atingir um nível satisfatório de serviço, é preciso hospedar centralmente esses aplicativos em uma plataforma de servidor robusta, como o Microsoft SQL Server ou Oracle.

As principais razões para se fazer o upgrade do Microsoft Access para um banco mais robusto incluem maior confiabilidade, escalabilidade, segurança, desempenho, manutenção e gerenciabilidade.

 

Artigos Relacionados


Este artigo foi útil? Was this post helpful?
Yes0
No0

Deixe seu Comentário

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos marcados com asterisco são obrigatórios *